Eu descobri que o amor faz muita falta nas nossas vidas e nada o substitui. Já suspeitava disso, mas agora eu tenho certeza e descobri da pior forma possível.
Ele ficou louco por falta de amor. 

(Fonte: adesejar, via adesejar)

Não era o bastante ser seu último beijo. Eu queria ser seu último amor.
Quem é você, Alasca?

(Fonte: delator, via florencear)

Eu sempre fui o que se importa, se dedica e vai até o fim do mundo por alguém que amo.
Gramaticas. 

(Fonte: gramaticas, via engasgada)

A diferença entre você e um cubo mágico, é que do cubo mágico eu desisto.
João Pedro Bueno. 

(Fonte: sabedorias, via prestigiador)

quarta-feira / 38.236 notas / reblog
Desculpa se te magoei, decepcionei, não fui bem aquela que você pensava que eu seria. Mas agora nem eu sei quem sou. Na vida a gente faz tantas escolhas, não é verdade? E muitas vezes uma escolha aos olhos do outro é errada. Muitas vezes um caminho aos olhos do outro é tortuoso. Mas eu quero caminhar com minhas próprias pernas, me quebrar se preciso for, me estatelar no chão, me juntar e recomeçar. Sozinha.
Clarissa Corrêa. 

(Fonte: simbografia, via antipoetico)

Portanto, agora, ali estava eu. Sentado ouvindo a chuva. Se eu morresse agora, ninguém verteria uma lágrima em todo o mundo. Não que precisasse disso. Mas era estranho. Até onde um trouxa pode ficar solitário? Mas o mundo estava cheio de velhos rabugentos como eu. Sentados ouvindo a chuva e pensando para onde foi todo mundo. Aí é que a gente sabe que está velho, quando fica pensando para onde foi todo mundo.
Charles Bukowski.

(Fonte: ovelhosafado, via acrescentada)

Você tenta ficar em silêncio e calar os sentimentos e a dor sentida, mas machucou demais e a tentativa de esconder foi em vão e, geralmente quem te machucou ainda tem a audácia de perguntar o motivo de você estar assim.
Jéssica Letícia. 

(Fonte: petalismo, via o-teimoso)

quarta-feira / 16.180 notas / reblog
Ele quer sacanagem comigo, mas daquele tipo de sacanagem pura, com direito a perguntar baixinho “tá doendo”?
Tati Bernardi.

(Fonte: c-i-t-r-i-c-a, via finais)

Te faço um café. Ou um cafuné. Se tu quiser.
Caio Fernando Abreu.

(Fonte: remandocontracorrente, via com-versos)

E se algum dia, olhando pela janela, os cotovelos apoiados, os dedos segurando um cigarro, eu me questionasse novamente o que seria essa tal felicidade, eu queria muito que a cidade gritasse seu nome.
Gabito Nunes. 

(Fonte: amoremdoseselevadas, via florejaste)

domingo / 50.909 notas / reblog
Sofre horrores, mas continua do bem, sempre inventando histórias com final feliz.
Caio Fernando de Abreu.  

(Fonte: visivel, via cuidei)

Esquece. Não vou atrás de ninguém. Não mais. Ontem eu quis desesperadamente a sua companhia lá naquele banco da praça, quis ficar ali com você a noite toda se pudesse. E quando fui embora pensei em te ligar, dizer pra voltar amanhã, vir me fazer sorrir. Mas não. Hoje eu acordei e pensei que seria melhor não, eu não quero me apegar em ninguém, não quero precisar de ninguém. Quero seguir livre, entende? Mesmo que isso me faça falta, alguém pra me prender um pouquinho. Vou me esquivar de todo sentimento bom que eu venha a sentir, não levar nada a sério mesmo. Ficar perto, abraçar de vez enquanto, sentir saudade, gostar um pouquinho. Mas amar não, amar nunca.
Caio Fernando Abreu. 

(Fonte: butidontcarebaby, via rabiscador)